Entre janeiro e outubro, Palmas, Sul do Paraná, contabilizou um saldo de 422 novos empregos, uma queda de 37,4% comparado aos dez primeiros meses de 2014, quando o município gerou 675 novos postos de trabalho. As informação são do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

O maior número de vagas foram preenchidas no mês janeiro, quando 397 trabalhadores entraram na formalidade. Em fevereiro foram 184 novas vagas e em março, 118. No entanto, entre abril e agosto, Palmas amargou uma sequência de meses em que o saldo de empregos foi negativo, ou seja, mais trabalhadores foram dispensados do que contratados.

Alguns dos motivos apontados para a retração na geração de empregos são as culturas sazonais do município, como a maçã e a batata. O ciclo de colheita inicia entre o final de dezembro e inicio de janeiro, estendendo-se até meados de abril. Nesse período, somente na safra da maçã, entre colheita, classificação e embalamento, são quase oitocentos trabalhadores.

As expectativas voltam-se para um aquecimento na economia neste final de ano, e assim, aumentar a oferta de vagas temporárias de emprego. Segundo dados da Fecomércio (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná), cerca de 14,5% das empresas do varejo têm interesse em ofertar esse tipo de vaga. Em 2014, o percentual era de 29,4%. Diante desse cenário, os interessados em buscar essas vagas devem estar atentos às oportunidades de qualificação, visto que mesmo para cargos temporários, as empresas têm buscado trabalhadores capacitados, principalmente, nesse período do ano.