O município de Palmas, sudoeste do Paraná, registrou 13 homicídios dolosos (com intenção de matar) no ano passado, um aumento de mais de 35% nesse tipo de ocorrências comparado à 2013. Os dados foram divulgados pela Secretaria Estadual de Segurança Pública.

Com uma média de 1,08 homicídio por mês, Palmas alcançou uma taxa de 27,6 mortes para cada 100 mil habitantes. O município ultrapassou a média estadual de crimes do gênero, que é de 23,5. Na região sudoeste, Palmas ficou atrás somente de Francisco Beltrão, que registrou 14 homicídios. No entanto, considerando a taxa de mortes nos municípios acima de 20 mil habitantes, Palmas só fica atrás de Clevelândia, que fechou 2014 com 6 homicídios e uma taxa de 29,9.

Os índices apresentados pelo município palmense, aproximam-se do nível nacional de 29,8 assassinatos para uma população de 100 mil pessoas e dos de países que vivem sob conflitos como o Sudão (24,2), ou o México (22,7), que enfrenta uma violenta guerra contra o tráfico de drogas.

Com 8 homicídios registrados, Pato Branco teve uma taxa de mortes de 10,2. Ao todo, o sudoeste registrou 91 homicídios no último ano, uma taxa de 14,7. Esses números foram contabilizados por 27 municípios, visto que 15 municípios sudoestinos não registraram ocorrências do gênero no último ano. Para a ONU (Organização das Nações Unidas), é considerado tolerável um índice de 10 mortes para cada 100 mil pessoas.