Pais, alunos, professores e funcionários da Escola Estadual Itaipu realizaram uma manifestação no final da tarde desta segunda-feira (18), em Salto do Lontra. O objetivo é chamar atenção das lideranças políticas regionais para a construção urgente de uma sede própria para a escola, que atualmente está funcionando em um prédio do município, junto a uma escola municipal. Pais de alunos garantiram que a situação está insuportável, por que as salas de aulas não oferecem o mínimo de condição para os alunos.

“São salas pequenas, sem qualquer estrutura (…….) o saguão é usado como refeitório e quando chove tem um monte de goteiras, a biblioteca funciona numa antiga casa feita em madeira que está apodrecendo, sem contar o restante da estrutura”, desabafou Veronice de Souza, mãe de uma aluna de 12 anos.  Quem também reclama é a diretora da escola, professora Ivonete Venderlinde Toscan. Conforme ela, há sete anos o município fez a doação de um terreno de 8.000 m² para construção da escola, mas até agora o governo não se manifestou.

A representante da AAP Sindicato em Salto do Lontra, Denila Coelho crítica a falta de interesse do governo. “Já cansamos de discutir, de pedir e nada acontece, nenhum tijolo foi colocado no terreno destinado à obra. Já falamos com o diretor do Núcleo Regional de Educação (NRE) de Dois Vizinhos, mas nenhuma providência foi tomada”, afirmou.

Outra mãe indignada com o descaso das autoridades é a dona de casa Fernanda Cachoeira Bianchin. Conforme ela esse problema é uma falta de educação com a educação. A mãe lamenta não admite que professores trabalhem sem as mínimas condições e garante que as reivindicações terão sequência até obter uma resposta positiva do governo quanto a construção da escola. “Não tem mais jeito, já fugiu do controle, nosso filhos não tem nem onde fazer atividade física, pois o ginásio usado por eles é da Associação de Moradores do Bairro Itaipu e quando chove alaga tudo”, contou.