O anúncio do inicio do processo para concessão da PRC-280, no sudoeste do Paraná, trouxe à tona as discussões em torno dos valores a serem pagos pelos usuários da rodovia que liga a região até o sul do Estado, entre Palmas e General Carneiro. No projeto apresentado pelo Governo do Estado à lideranças da região, que estiveram em Curitiba, deverão ser instaladas praças de pedágio a cada 50 quilômetros, com uma tarifa básica de R$ 6,00, preço considerado justo pelos internautas do RBJ.com, que responderam à enquete – “Você acha justo pagar pedágio na PRC-280?”.

Dos 8,2 mil participantes, 46,30% (3,8 mil) responderam que “Sim, até R$ 6,00”. Outros 290 responderam que achama justo um pedágio de até R$ 10,00, enquanto 180 afirmaram que pagariam até R$ 12,00 e outros 200 colocaram R$ 14,00 como um preço justo. Já 45,57% dos participantes, opinaram de forma contrária, declarando não acharem justo o pagamento de pedágio na PRC-280. No entanto,  a soma de todos os votos favoráveis à concessão do trecho mostra que 54,41% apoiam a iniciativa.

A Federação das Indústrias do Paraná (Faep) entre os meses de julho e agosto realizou uma pesquisa com 2,5 mil motoristas que utilizam rodovias privatizadas em todo o Estado. Segundo o levantamento, 47,7% dos motoristas paranaenses estão Satisfeitos/Muito satisfeitos com as rodovias pedagiadas, enquanto 40,9% estão Insatisfeitos/Muito Insatisfeitos. Segundo 53% dos entrevistados, a melhor forma de manter as rodovias em bom estado é conceder o serviço para as empresas de pedágio, outros 44,7% acreditam que o é melhor o governo cuidar das rodovias.

Em relação à tarifa, 81,6% dos motoristas acham que o valor cobrado pelas empresas de pedágio é Incompatível/Totalmente Incompatível com o serviço que oferecem, como estrutura, qualidade do asfalto, apoio, conservação, etc. Apenas 9,6% acreditam que o valor é Compatível/Totalmente compatível com o que é oferecido aos usuários. 79,3% dos usuários das rodovias paranaenses defendem que o governo faça um novo contrato com as empresas de pedágio agora, com novas regras, obras de duplicação e tarifa mais baixa. Apenas 18,7% acreditam que é melhor o governo esperar vencer o contrato com as concessionárias em 2022.

O projeto desenvolvido pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) para a PRC-280 prevê uma série de melhorias, como a duplicação do trecho entre Pato Branco e Francisco Beltrão. O custo para as obras, num intervalo de 25 anos, está estimado em R$ 1,8 bilhão. Em setembro, será lançado o Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) para as concessionárias. O DER irá analisar os melhores projetos e encaminhá-los para processo licitatório, valendo a menor tarifa.