O Poder Judiciário da Comarca de Abelardo Luz, Oeste de Santa Catarina, condenou um homem a 24 anos e seis meses  de prisão pelo crime de estupro de vulnerável. A informação foi divulgada pelo Tribunal de Justiça do Estado, nesta terça-feira (4). A vítima, de seis anos de idade, era enteada do agressor.

O Juiz da Comarca, Emerson Carlos Cittolin dos Santos,  também condenou a mãe da menor a 16 anos e quatro meses de reclusão por saber da violência sexual contra sua filha sem qualquer medida para evitar os crimes pelo companheiro. Conforme os autos, a mãe da menina tinha conhecimento do comportamento do companheiro, mas preferiu ignorar os relatos. As denúncias foram feitas ao Conselho Tutelar e, posteriormente, ficaram comprovadas através de perícia, depoimentos da criança e declarações de familiares relatando atos pelo padrasto.

Antecedentes criminais apontaram que o réu era reincidente na prática de crimes contra a dignidade sexual, tendo, inclusive, já cumprido pena por seus atos. A mãe da menina tinha conhecimento do comportamento do companheiro, mas preferiu ignorar os relatos.

“Ela chegou, inclusive, a considerar “normal” toques e carícias do padrasto nas menores, o que ocorria na frente de outras pessoas.  A ré deliberadamente deixava a filha menor de idade aos cuidados do padrasto, enquanto ia à igreja com a filha maior e o bebê, facilitando as investidas do réu”, destacou o magistrado.