Por Everton Leite

Osteoporose significa osso poroso, ou seja, descalcificação progressiva dos ossos, tornando – os mais frágeis. E quanto maior a fragilidade, maior o risco de fratura. A sobrecarga atinge principalmente a coluna vertebral, quadril e fêmur.

Embora a ocorrência da doença seja mais comum em mulheres, pela estrutura corporal e a fragilidade que lhe é peculiar, os homens também podem ter a doença. A osteoporose está diretamente ligada com o envelhecimento. A explicação do médico ortopedista, Edson Maines é de que os ossos crescem até os 20 anos, depois, a partir daí, a densidade aumenta até os 35 anos e então começa a perda de massa progressiva, ou seja, a osteoporose. O processo torna-se mais rápido nas mulheres após a menopausa.

A osteoporose é uma doença séria e, portanto deve ser tratada com tal. Ela é silenciosa e não apresenta qualquer sintoma aparente, a não ser a postura arcada.

Dentre as principais causas da doença estão: a menopausa, idade avançada, histórico familiar, constituição física magra, é mais frequente também em mulheres brancas e asiáticas, e ainda existem outros fatores como baixa ingestão de cálcio, ter diabetes, falta de exposição à luz solar, pouca atividade física, hábito de fumar, consumo de álcool, café ou doenças crônicas.

Aumento dos casos

Estudos apontam que nas próximas décadas a osteoporose ficará mais comum, graças ao aumento da expectativa de vida do ser humano, ou seja, as pessoas vão viver mais. Portanto, a recomendação do médico ortopedista, Edson Maines é de ingestão de alimentos com vitamina D e cálcio, e ainda, praticar atividades físicas, evitando beber e fumar.

A osteoporose não tem cura, mas o tratamento feito drogas específicas e suplementos, acompanhados de um especialista pode amenizar os efeitos e estabilizar a doença, diminuindo os riscos de fratura.