Na sessão ordinária desta segunda-feira (23), os vereadores de Francisco Beltrão devem votar o projeto de lei que trata do orçamento do município para 2016, estimado em R$ 242 milhões. Desse total, R$ 225 milhões são para a administração direta, sendo R$ 222 milhões para o executivo e R$ 3 milhões destinados ao Legislativo. O restante, cerca de R$ 17 milhões, serão destinados à Previdência Social dos Servidores Públicos Municipais (Prevbel).

O projeto recebeu emendas. A vereadora Elenir Maciel (PP), presidente da Câmara, solicita recursos para instalação de um centro de zoonoses e para sonorização de semáforos na área central, com intuito de facilitar a acessibilidade de deficientes visuais. Emendas do vereador Valmir Tonello (PMN) garantem recursos para revitalização da Avenida Progresso e a construção de uma Capela Mortuária para atender os bairros São Miguel, São Francisco e Novo Mundo, além de pavimentação da Rua Marechal Hermes da Fonseca e Ampliação do CMEI Carrossel, no Bairro São Miguel.

Maria de Lurdes Pazinni (PMDB) solicita verbas para viabilizar programa de doação de vacas leiteiras de qualidade para pequenos e médios produtores de leite, restauração de espaços públicos utilizados pelos idosos, clubes de mães e Pastoral da Criança. Se aprovadas, as emendas passam a integrar o projeto, que após aprovação dos vereadores segue para sanção do executivo.

Apesar de ser um valor razoável, o orçamento de Francisco Beltrão ainda é menor que o apresentado pela administração de Pato Branco, cidade que tem quase 10 mil habitantes menos. De acordo com dados da prefeitura, o orçamento de Pato Banco previsto para 2016 é de aproximadamente R$ 300 milhões.