Aproximadamente 500 animais, que perambulam pelas ruas de Palmas, sul do Paraná, já foram castrados através de programa de iniciativa da ONG Associação Palmense de Proteção Animal (APPAnimal). O trabalho da organização visa redução da elevada população canina sem proteção controle de doenças e bem estar animal.

Conforme a vice-presidente da entidade, Geize Camargo, com apoio de veterinários comprometidos com a causa, já foram realizadas 293 esterilizações em machos e 190 em fêmeas. “Com isso deixaram de nascer aproximadamente três mil animais, que por certo estariam aumentando o problema existente”, disse ela.

Salientou que todos os esforços da APP Animal visam desacelerar o crescimento de caninos que abandonados ficam sem os cuidados básicos de sobrevivência. Além do fim do abandono de filhotes, pretende-se também diminuição do risco de transmissão de doenças para humanos e entre os próprios animais. Conforme ela, como são animais que não recebem vacinas, aumentam as chances de ataque contra pedestres. Dentre as doenças mais conhecidas que podem ser transmitidas estão micoses, verminoses, sarna, raiva, leishmaniose, brucelose e a leptospirose. Informou que além das castrações, a APP Animal também já realizou 193 atendimentos a animais garantindo-lhes o bem estar.

Salientou que como a Associação é uma entidade sem fins lucrativos tem conseguido desenvolver seus trabalhos a partir da colaboração da sociedade em suas promoções. Como o município não dispõe de um centro de zoonoses, por exemplo, a entidade tem buscado atuação no controle de natalidade. Avaliou que se o poder público instalasse uma unidade, a APP ficaria à disposição para os cuidados, mas como isso não está sendo possível para que os animais possam receber um tratamento adequado, com combate aos maus tratos e ao abandono; campanhas de adoção; ações educativas de estímulo à posse responsável e esterilização.