O número de adultos acima do peso ideal ou gordos nos países em desenvolvimento quase quadruplicou desde 1980, diz um relatório divulgado nesta sexta-feira (3) na Grã Bretanha.

O estudo prevê um “enorme aumento” em casos de ataques do coração, derrames e diabetes à medida que os hábitos alimentares  se aproximam dos padrões de países do primeiro mundo, com maior ingestão de açúcar, gordura animal e alimentos industrializados.

O estudo, feito pelo Overseas Development Institute, um dos principais centros de estudo sobre desenvolvimento internacional da Grã-Bretanha, comparou dados de 1980 com dados de 2008, e verificou que na América Latina, por exemplo, o percentual de pessoas acima do peso era de 30% em 1980 e de quase 60% 18 anos depois. Especificamente no Brasil, neste mesmo período o crescimento foi de 32% para 65%.

Globalmente, o percentual de adultos que apresentavam sobrepeso ou obesidade – que têm um Índice de Massa Corporal (IMC) superior a 25 – cresceu de 23% para 34% entre 1980 e 2008. Em números absolutos, isso representa um salto de 250 milhões de pessoas obesas em 1980 para 904 milhões em 2008.

A maior parte deste aumento foi visto no mundo em desenvolvimento, especialmente nos países onde o rendimento da população cresceu. Os países que tiveram aumento acentuado foram Brasil, Egito e México.

As regiões do Norte da África, Oriente Médio e América Latina em geral, apresentaram grandes aumentos nas taxas de sobrepeso e obesidade, para cerca de 58% da população geral, um nível em pé de igualdade com a Europa.