O Kefir tem ganhado espaço na alimentação do brasileiro, um probiótico com inúmeras ações benéficas no organismo, especialmente na imunidade. A nutricionista, Dirce Opolski, comenta que existe uma tendência de uma alimentação mais viva, o mais natural possível, “a possibilidade de ter em casa, sob nosso controle, uma cultura de micro-organismos probióticos pró, ou seja, a favor da vida, cujo principal objetivo seria manter a microbiota do intestino saudável”.

  • Compartilhe no Facebook

(Imagem Ilustrativa)

O Kefir normalmente tem a aparência de uma couve-flor. Existe o Kefir do leite (açúcar no leite) e o Kefir da água (o melado ou açúcar mascavo). Esse meio fermentativo quando ingerido, pode propiciar no intestino uma condição de sobrevida de bactérias do bem, oferecendo benefícios para o organismo.

A nutricionista esclarece que é necessário bastante cuidado na manipulação do Kefir, “ele precisa ficar um tempo fora da geladeira para fermentação em temperatura ambiente, se você não quiser deixar que aquele leite fermente até um teor de acidez muito alto, basta voltar essa composição para geladeira”.

Os grãos são colocados em um frasco fechado e permanecem por 12 a 36 horas fora da geladeira fermentando. Em relação ao tempo de cultura, vale destacar que cada pessoa responde diferente. Em alguns casos o de 12 horas tem um efeito melhor, já em outros, o de 24 horas pode aumenta a chance de constipação ou soltar o intestino. O Kefir de 12 horas fica suave, com aspecto cremoso e lembra muito um iogurte, “a partir disso podemos fazer molho de salada, ingerir com frutas ou ainda bater no liquidificador”, orienta.

O Kefir melhora todo o trânsito intestinal, aumenta o Cálcio, Vitamina B12, proteínas e com isso melhora muito a imunidade. É indicado para crianças também, porém, é necessário observar o funcionamento do intestino.

Confira a entrevista: