Nos próximos dias deverá ser marcada a data para a realização da Audiência Pública como procedimento para a implantação dos três novos parques para a produção de energia eólica no município de Palmas, sul do Paraná. O ato é um rito processual para a expedição da Licença Prévia (LP) que permitirá  a geração até 172,7 megawatts na região do Horizonte.

Na tarde de ontem (12) o engenheiro, Adriano Jackson Gomes, sócio proprietário da Incomex, – uma das empresas do consórcio de investidores- acompanhado dos empresários e apoiadores do projeto no município, Francisco Putton; Daniel Langaro ( ACIPA), José Antonio Kaspreski, apresentaram ao prefeito Hilário Andraschko o andamento do projeto que prevê investimentos superiores a R$ 800 milhões de reais no município a partir de 2015.

Na ocasião pediu apoio da administração  para a realização da Audiência  a ser definida pelo Instituto Ambiental do Paraná.  Ao RBJ, Gomes salientou que  havia sugerido ao IAP  a data de 16 de junho o que não foi possível. “A gente espera que o órgão se manifeste nos próximos 30 dias a cerca da data definitiva para a realização da Audiência Pública”, explicou.  Na oportunidade serão apresentados à população os EIA/RIMA – Estudos e Relatórios de Impactos Ambientais dos empreendimentos.

Conforme ele, os investidores aguardam com expectativa para que haja tempo hábil de participação nos leilões da ANEEL ( Agência Nacional de Energia Elétrica) e com isso dar cumprimento ao cronograma pré-estabelecido para os investimentos.  Obtendo êxito no certame é assinado o contrato para a venda de energia ao governo federal.  Após isso teremos um prazo de seis meses para preparação da documentação para a obtenção da Licença de Instalação (LI) dos Parques, contratação dos equipamentos e infraestrutura”, explicou o engenheiro.

Calculou que até meados de 2015 deverão ser iniciadas as obras de instalação das mais de 80 torres dos parques Eólicos Agua  Santa com 84 megawatts; Serra da Esperança, 42 megawatts e Rota das Araucárias, 46 megawatts. Explicou que o tempo da obra, a partir da implantação das torres, é de no mínimo 18 meses.