Pouco mais de um mês após o primeiro episódio, a sessão do Poder Legislativo de  Palmas, sul do Paraná, voltou a ser interrompida na noite desta segunda-feira(13) após uma briga generalizada no lado de fora, envolvendo desta vez, familiares e assessores de vereadores e ainda um morador do município. A Polícia Militar foi acionada em fez a condução dos envolvidos até a sede da 2º Companhia.

Foto: Alencar Pereira
  • Compartilhe no Facebook

Foto: Alencar Pereira

Em primeiro de setembro, o plenário da Casa foi palco de agressões verbais com acusações e palavras de baixo calão e tentativa de agressão física entre os vereadores Alberto Thaler(PTB) e presidente interino da Casa, Wilmo Rodrigues Correia da Silva(PMDB).

Na noite de segunda-feira tudo de novo. Enquanto os trabalhos legislativos fluíam normalmente no plenário, com discussões sobre temas importantes, como saúde e sistema viário do município, no lado de fora uma gritaria e muita confusão. Alguns vereadores abandonaram a sessão para acompanhar o episódio, que segundo populares, teria iniciado entre algumas pessoas que assistiam a sessão na plateia.

Enquanto eram lidos os documentos pela primeira secretaria, o presidente da Casa deixou a Mesa e partiu em defesa de seus filhos que estavam em luta corporal com Nilson Ferraza, no lado de fora. Na confusão além de agredir um dos envolvidos acabou sendo derrubado por demais pessoas que se somaram a pancadaria. Após a poeira do “rodeio de pau” baixar, Nilson Ferraza foi apreendido pela Polícia Militar e o presidente retomou os trabalhos na presidência da Casa.

Ouça explicações do presidente Wilmo Rodrigues Correia da Silva sobre o episódio de segunda-feira(13)

No pelotão da Polícia Militar, Nilson Ferraza,  apresentou sua versão dos fatos e voltou a fazer ameaças contra a família Correia da Silva