Operadores de colheitadeiras que trabalharam com menos perdas durante a última colheita de soja foram premiados na noite de sexta-feira em Francisco Beltrão. Do evento, que já está em sua 3ª edição, uma constatação: enquanto o número de inscritos aumentou, a média das perdas reduziu de 2,4 sacas/ha em 2011 para 0,78 sacas/ha neste ano.

Com mais de 294 inscritos, esta foi a maior edição do concurso, que visa incentivar os operadores a maior eficiência técnica na hora da colheita. Para a secretária de Desenvolvimento Rural de Francisco Beltrão, Daniela Celuppi, o concurso tem relação direta com os índices de produtividade. “A participação melhora os índices de produtividade, pois reduzir as perdas na lavoura significa aumentar a produção”, afirmou.

O operador Maurício Cardoso, de Nova Prata do Iguaçu, foi o ganhador do concurso regional, com perdas de somente 6,30 kg/ha. Ele faturou uma moto 125cc; já o segundo e terceiro colocado, Daniel Grisa (Santa Izabel d’ Oeste) e José Ruviaro (Barracão) ganharam como prêmio uma tevê 32”.

Maurício conta que para reduzir as perdas durante a colheita, não há segredo, apenas capricho do operador. “É só fazer o certo, regular bem a máquina e andar na velocidade certa”, diz. Dez operadores foram premiados no concurso regional.

Os melhores operadores de Francisco Beltrão também foram premiados separadamente. Altair Fieira (13,9 kg/ha), Albino Poposki (21,6 kg/ha) e Laércio Viganó (23,8 kg/ha) foram os primeiros colocados no município.

O Concurso Regional de Redução das Perdas na Colheita de Soja tem é promovido pela Seab, Instituto Emater, Adapar, Senar/PR, Codapar, Prefeitura Municipal de Francisco Beltrão, Colégio Agrícola do Sudoeste, Arcafar Sul, Embrapa, Itaipu Binacional e Assema (Associação dos Secretários Municipais de Agricultura da Microrregião de Francisco Beltrão). 

Simultaneamente ao evento aconteceu a premiação das propriedades referências em sustentabilidade. Vinte e três propriedades foram premiadas (uma de cada município), levando em conta aspectos como a viabilidade econômica, diversidade da produção, sucessão familiar e preservação ambiental. Os ganhadores participarão de uma viagem técnica ao Porto de Paranaguá e ao Iapar.