Hélio Alves, prefeito de Ampére e presidente do CIruspar. Foto: Assessoria
  • Compartilhe no Facebook

Hélio Alves, prefeito de Ampére e presidente do CIruspar. Foto: Assessoria

O presidente do Ciruspar (Consórcio Intermunicipal de Urgência e Emergência do Sudoeste do Paraná), prefeito de Ampére Hélio Alves, foi entrevistado na Onda Sul FM na manhã desta quarta-feira (06). Na ocasião comentou sobre a paralisação dos servidores do SAMU na região, que envolve condutores socorristas, técnicos e do setor administrativo.

O presidente lamenta que a situação tenha chegado nesse ponto e reiterou o que já havia comentado em outras entrevistas, que não há recursos disponíveis nos caixas dos municípios para bancar o reajuste reivindicado pela classe. “Entendo a situação, reconheço o trabalho que esses profissionais fazem, mas infelizmente não temos (as prefeituras) de onde tirar mais recursos. Por exemplo, Ampére paga R$ 1,05 por habitante, ou seja, já repassamos quase R$ 20 mil mensais para o consórcio e não tem como aumentar esse valor”, disse.

O prefeito lembra que o Ciruspar está com um déficit financeiro e se aumentar salários a situação só tende a pior, pois o Estado e a União também não têm como repassar valores acima dos atuais disponibilizados mensalmente. Segundo Hélio Alves, na terça-feira (05) foi apresentada proposta de R$ 1.400,00 com início de pagamento em março de 2017, porém a proposta foi recusada pela categoria. Diante da negativa, a direção do Ciruspar pretende ingressar na justiça com objetivo de suspender a greve.

Clique no link abaixo e ouça a entrevista com Hélio Alves, na íntegra…