A Secretaria de Saúde está comemorando a redução no número de casos da dengue em Francisco Beltrão, que desde janeiro vem sendo uma das prioridades da pasta. Por meio de um forte trabalho de prevenção da doença através da eliminação de focos de larvas do aedes aegypti, a Secretaria envolveu setores representativos da população no combate ao vetor da doença.

De janeiro até a primeira semana de maio de 2012, por exemplo, o município tinha 460 casos autóctones registrados; neste ano são apenas seis. O número de notificações também reduziu: de 1.192 para 396. Além disso, o índice de infestação predial de maio caiu para 0,6%, ante os 5,9% de março.

Os resultados obtidos nestes primeiros meses do ano, segundo a secretária de Saúde, Rose Mari Guarda, são consequência do esquema montado para combater a doença. As ações envolveram desde a reativação do Comitê de Combate a Dengue – que tem a participação de lideranças comunitárias – e os trabalhos educativos em escolas, igrejas e empresas até o bloqueio nas regiões com registro de notificações, visitas quinzenais dos agentes de combate a endemias e mutirões para recolhimento de entulhos e materiais que poderiam servir de criadouro.

Outras secretarias, como a de Urbanismo e de Meio Ambiente foram envolvidas nas ações, além de instituições como o Ministério Público, Rotarys e associações de moradores.

Apesar dos bons resultados neste que é considerado o período mais propicio à proliferação da doença, a Secretaria de Saúde continuará com as ações e diz que neste processo é importante a participação da população. “Como os ovos do mosquito podem demorar até um ano para eclodirem, daremos continuidade ao trabalho de conscientização que vínhamos desenvolvendo, para, mesmo no ano que vem, termos uma situação mais tranquila e não voltar a ter epidemia de dengue”, afirma Rose.

E apesar de toda campanha de orientação e dos bons exemplos de muitos moradores que passaram a colocar o combate a dengue na pauta do dia, lições erradas ainda são identificadas pelos agentes de combate a endemias. Focos de larvas são comumente encontrados nos fundos dos terrenos e até em locais inusitados, como a vasilha de água dos cães e o dispenser de água das geladeiras frost free.