Por Ivan Cezar Fochzato/Cristiano Netto

 

 

Na manhã desta segunda-feira (16), a titular da 2º Promotoria da Comarca de Palmas, Paraná, Danieli Garcez da Silva, se pronunciou sobre a ação contra vereadores da Câmara de Palmas por gastos indevidos com viagens.
No programa Dinâmica 1050, (confira áudio no link abaixo) a promotora explicou sobre a ação civil que a situação veio à tona ao investigarem outra notícia de uso indevido de diária pelos dois vereadores que chegou à Promotoria, mas que acabou não se confirmando.

Destacou que em maio do ano passado Vilmar Borges teria recebido diárias para cinco dias de viagem em evento em Faxinal do Céu, com autorização do presidente da Casa Legislativa, Nilo Umberto Deitos Júnior. Ocorre que todas as despesas com a atividade já estavam pagas previamente pelos organizadores, ou seja, não havia necessidade da liberação da verba.Outra situação relatada pelo MP dá conta de que o vereador assinou presença apenas durante dois dias do curso, que tinha duração prevista para cinco dias.

Liminarmente, o MP-PR requer a indisponibilidade de bens de Borges em R$ 1.200, valor que teria sido gasto irregularmente, para futura devolução aos cofres públicos. No mérito, a condenação dos dois agentes políticos por ato de improbidade, o que pode levar a sanções como a perda da função pública, suspensão dos direitos políticos, restituição dos valores gastos e multa.Assinam a ação a promotora de Justiça Danielle Garcez da Silva e a promotora substituta Maria Fernanda Marinelli Salvadori Belentani.

 

EXPLICAÇÕES

O vereador, Vilmar Borges, explicou na manhã de hoje ao departamento de jornalismo da Rádio Club AM, que sua presença na integralidade não ocorreu por questões de saúde, uma vez que, em função de tratamento médico, não poderia fazer as refeições no local e com isso não assinou todas as presenças necessárias. Também disse que na ocasião outras três pessoas, funcionários da divisão de meio ambiente do município, viajaram em seu carro particular até Faxinal do Céu.

O vereador Nilo Deitos, presidente do Poder Legislativo na época,  disse que a mesa diretoria havia recebido o convite para a participação de um técnico legislativo ou vereador no evento organizado pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente. Então indicou o vereador Leonardo Maito, que integrava o Conselho de Meio Ambiente. Este explicou que não poderia se ausentar pelo período de uma semana. O convite então foi entendido ao vereador Vilmar Borges, que acatou então a indicação.

 

O vereador Nilo Deitos, frisou que não havia qualquer informação de que todas as despesas seriam custeadas pelo órgão estadual e com isso, de forma legal, autorizou as cinco diárias previstas. Disse que as diárias são dadas dentro da lei e que a utilização dos recursos é de total responsabilidade de quem recebe o dinheiro. Vereador Nilo Deitos, reitera que agiu em conformidade com a lei ao liberar o dinheiro para o vereador Vilmar Borges.