Integrantes do movimento Sudoeste sem Pedágio reuniram-se nesta semana com técnicos da FIEP (Federação das Indústrias do Estado do Paraná), em Marmeleiro, Sudoeste do Paraná, para discussão do projeto de concessão da PRC-280 apresentado pelo Governo do Estado.

No último dia 15, em visita ao município de Pato Branco, o governador Beto Richa anunciou a suspensão do processo de concessão do chamado Corredor Sudoeste, que liga Realeza à Palmas, no Sul paranaense.

Uma das lideranças do movimento, diretor do Sindicato dos Transportadores Autônomos do Sudoeste, Gilberto Gomes da Silva, reiterou a contrariedade do grupo quanto à instalação de praças de pedágios na região. Informou ainda que está iniciando o processo de formalização de uma entidade, para que o movimento Sudoeste sem Pedágio tenha estatuto e encaminhamento jurídico.

Participou da reunião o engenheiro da FIEP, João Arthur Mohr, que apresentou dados sobre os demais modelos de pedágio adotados no Paraná e comparou com as projeções apresentadas nas audiências realizadas em Pato Branco e Francisco Beltrão no inicio do mês, pontuando que os valores propostos para o pedágio do Sudoeste são altos, afirmando que o modelo deve ser revisto.

Governador Beto Richa suspende estudos do Corredor Sudoeste

Palmas terá maior trecho pedagiado do Corredor Sudoeste da PRC-280

Conheça estudo para concessão da PRC 280 apresentado em Audiência em Pato Branco