Por Larissa Mazalot/Ivan Cezar

 

Durante uma hora, das 09 às 10 horas da manhã de hoje, a rodovia PRC 280, trecho entre Palmas e Clevelândia, ficou interditada na altura da entrada da Fazenda das Conchas, há 15 quilômetros de  Palmas. O ato realizado por  40 famílias teve por objetivo   reivindicar uma posição do INCRA para que faça a vistoria da área que vem sendo reivindicada para fins de reforma agrária.

 

Na área, envolta em questões judiciais  da  massa falida da Olvepar de  Clevelândia, vivem quarenta famílias originárias de Palmas   e trabalham no local, há aproximadamente  três anos  com atividades da agricultura familiar e agora,interromperam a rodovia para chamar  a atenção do Incra, no sentido que realizem os procedimentos para que as famílias possam ser definitvamente assentadas.

 

Outra reclamação e motivo do manifesto foi protestar contra algumas lideranças do MST da região, que estariam negociando, sem o consentimento das famílias, a saída destes do local para uma outra área. Na oportunidade, bandeiras do MST foram rasgadas pelos participantes do movimento, em repúdio a ação das lideranças do Movimento Sem Terra na região.

 

“Não vamos pra outra cidade, nascemos e nos criamos em Palmas e não iremos para a cidade passar fome, aqui, vivemos da criação de animais e do cultivo de alimentos”, relatou  um dos líderes, à reportagem do Portal RBJ, Valcir Ramos  Batista.

 

O manifesto da manhã desta segunda-feira foi bastante tranquilo. Filas de três quilometros com    caminhões e carros se formou nos dois sentidos da rodovia, durante a realização do manifesto. Lideranças dos famílias acampadas anunciaram ainda que se não houver uma posição do INCRA em torno de suas reivindicações estarão novamente realizando o movimento de interdição da PRC 280, com mais tempo de duração, até que  a questão seja solucionada.

 

 

 

 

 

 

OUÇA