A empresa mineradora responsável pelo envase e comercialização no estado do Paraná da água mineral Ana Rosa, emitiu nota à redação do RBJ com esclarecimentos relativos a ação de fiscalização pela Secretaria Estadual de Saúde- SESA, que considerou a marca reprovada por estar fora dos padrões de qualidade, juntamente com outras de oito rótulos. A empresa não contesta os resultados das análises realizadas. Entretanto, argumenta que foram utilizados critérios não corretos, tais como, em estabelecimentos comerciais que adquiriram o produto, ficando a mineradora sem possibilidade de controle sobre o acondicionamento e armazenagem do produto.

Ainda que, a água fiscalizada refere-se ao lote 195 que teria sido envasado em 14/07/2014, e que, como o prazo de validade é de 90 dias, só poderia ser consumido até 14 de outubro de 2014, sendo que o exame ocorreu após essa data.

Quanto a anunciada presença de coliformes, não se tratam de fecais e sim de totais, que no entender da empresa, não são causadores de danos à saúde humana, como atribuídos pela SESA. No tocante a qualidade da água, a empresa esclarece que possui rigorosos padrões de controle e que todos os exames laboratoriais atestam para o padrão necessário ao consumo humano.

ESCLARECIMENTO MATÉRIA ANA ROSA