O melado de açúcar mascavo de cana-de-açúcar produzido em Capanema, no sudoeste do Paraná, fronteira com a Argentina, poderá ter, em breve, o selo de Indicação Geográfica (IG), concedido pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). A solicitação foi encaminhada no final de outubro e marcou o centésimo pedido de indicação geográfica junto ao INPI, desde a vigência da Lei da Propriedade Industrial (9.279/96).

O registro de Indicação Geográfica é atribuído a serviços e produtos que carregam características do seu local de origem, com valor e identidade própria, distintos de seus similares. Produtos, por exemplo, que demonstram qualidades únicas relacionadas com recursos naturais como solo, clima e sua confecção.

A diretora do Departamento de Agroindústrias da Prefeitura de Capanema, Doriela Leite Wieczorek, explica que o Município possui oito agroindústrias de produção de melado e derivados da cana, sendo três aptas para fabricar em conformidade com padrões de produtos que trazem o registro de Indicação Geográfica. A produção média, de acordo com a diretora, é de 9 mil quilos mês do melado de açúcar mascavo de cana-de-açúcar.

“Nossa intenção com esse pedido e a sua posterior obtenção e de agregar valor, preservar uma tradição e fomentar o desenvolvimento da economia local. O melado produzido em Capanema difere pela qualidade e padronização. Mesmo produzido em agroindústrias diferentes, podem manter as características e qualidade do produto que já tem um bom mercado”, observa Doriela.

Produtores, poder público e parceiros da iniciativa torcem para que até a realização da próxima Feira do Melado, programada para agosto de 2016, a identificação de origem possa estar reconhecida e agregada ao produto. É o caso de Paulo Gossler, agricultor da Linha Pinheiro, que produz o melado de açúcar mascavo de cana-de-açúcar desde 2002.

“O nosso melado é diferente, tem uma textura cremosa e uma identidade própria já reconhecida no mercado. Com o registro no INPI, pretendemos agregar valor ao produto, divulgar nosso trabalho e o nosso Município”, projeta Paulo.

O consultor do Sebrae/PR, Sabino Oltramari, detalha que a iniciativa tem uma importância social, cultural e econômica para o Município e a região. “O melado de Capanema tem potencial para conquistar a identificação geográfica pelo histórico de produção e características típicas do produto estabelecidas desde o cultivo da cana-de-açúcar até a fabricação do mesmo, feito em agroindústrias familiares”, projeta Oltramari.