Uma comitiva de lideranças políticas de Palmas, sul do Paraná, participaram nesta terça-feira (08) de uma nova reunião para tratar do processo de licenciamento para novos investimentos em energia eólica no município. Desde 2015, investidores e proprietários de áreas que receberão o projeto aguardam Licenciamento Ambiental para iniciar as obras.

Representantes dos investidores; Prefeito, Dr. Kosmos; o vice, César Pacheco Batista, vereador Marquinhos Gomes, acompanhados da deputada Federal, Leandre(PV) discutiram com o presidente do ICMBio, Ricardo Soavinski e técnicos do órgão,  as medidas encaminhadas pelo Ministro do Meio Ambiente para que se promovam as alterações necessárias nas normatizações permitindo os licenciamentos para os investimentos.

O licenciamento para os investimentos superiores a R$ 1,5 bilhão para construir seis parques eólicos para gerar 174 megawatts ainda não foi expedido por parte dos órgãos ambientais federais por estarem projetados para o interior da Unidade de Conservação Federal(UC) – Refúgio da Vida Silvestre dos Campos de Palmas(REVIS).

A comitiva palmense foi buscar esclarecimentos sobre quais os procedimentos e encaminhamentos que devem ser adotados para que seja definidas as implicações previstas no Decreto de criação da UC e seu respectivo plano de manejo. A demora na definição das competência para os licenciamentos tem gerado aborrecimento aos proprietários de terras no interior do Refúgio  e desânimo aos investidores dos projetos de geração de energia eólica.

Em documento encaminhado ao gabinete da deputada Leandre, o ICMbio informa que até o final deste mês deverá se manifestar sobre as questões de Palmas.