Um “piscinão” altamente favorável à proliferação de mosquitos transmissores de doenças no centro da cidade de Palmas, sul do Paraná.  O registro fotográfico da tarde de quinta-feira (01) encaminhado à redação do RBJ –  circula pelas redes sociais – é de um terreno localizado na esquina das Ruas Bispo Dom Carlos com Vicente Machado, em frente ao Palácio Episcopal. O autor da denúncia descreve o local como “um berçário perfeito para os mosquitos”. O terreno está cercado com tapumes há vários anos.

 

A preocupação aumenta na medida que a  7ª Regional de Saúde, de Pato Branco, Sudoeste do Paraná, confirmou 16 novos casos de dengue, no espaço de uma semana. Entre agosto de 2015 e a terça-feira (29), 64 casos da doença foram confirmados na região e outros 546 notificados. As informações são do Boletim Epidemiológico da Secretaria de Saúde do Estado. Dos casos apresentados pela RS, 29 são importados e outros 35 autóctones. Pato Branco é o município que apresenta o maior número de casos – 35 confirmações e 338 notificações. Em seguida aparecem Chopinzinho (12 casos), São João (7), Mangueirinha (4), Coronel Vivida (2), Itapejara D’Oeste (2), Saudade do Iguaçu (1) e Vitorino (1).