Índios ocuparam durante a madrugada de hoje (09) uma fazenda nas proximidades da Terra Indígena de Palmas, sul do Paraná. A área está sendo reivindicada como de propriedade indígena. Kaigangs de várias aldeias do Oeste catarinense também estão no local. A ação conta com mais de 200 indígenas.

Ao RBJ, o cacique da Terra Indígena de Palmas, Maurí dos Santos Oliveira, a mobilização ocorreu após um novo levantamento antropológico da FUNAI que indica que a área de 90 alqueires está dentro do território indígena. Com base nisso foram mobilizados caciques de aldeias do PR e SC, como Toldo Imbu, Ximbange e Condá, que estão auxiliando a comunidade de Palmas no que consideram a retomada da área. Ainda na tarde desta sexta-feira indígenas da terra de Mangueirinha também deverão reforçar o movimento.  Informou que a decisão, apesar de estar dispostos ao diálogo, é não mais deixar a área

Explicou que atualmente o título de propriedade é do advogado Auro da Aparecida Ramos de Mello e arrendada ao agricultor Miguel Kovatti de Pato Branco. “Quem diz ter o título da área é o Auro Mello, mas sempre foi terra nossa”, frisou o cacique.
Disse que um dos motivos que levou a comunidade a iniciar o movimento de retomada, além do documento da FUNAI, foi que a área está arrendada. “Nós não aceitamos que alguém diga que é proprietário de uma terra que é nossa e arrende para outros”.
Conforme o cacique, a retomada ocorreu de forma pacífica após o responsável pelo plantio das lavouras na referida área ter sido informado que os índios estariam ocupando a terra. Disse que ainda hoje, os equipamentos agrícolas dos índios serão direcionados para iniciar o plantio de parte da área onde ainda não semeada.

Conforme o cacique, além da retomada em Palmas, a movimentação deverá ocorrer em várias outras áreas de terras no Paraná e Santa Catarina após entendimento entre os caciques de várias aldeias.

SAIBA MAIS – PROPRIETÁRIO ACIONA JUSTIÇA CONTRA OCUPAÇÃO INDÍGENA