A medida está gerando uma série de transtornos, uma vez que, toda a estrutura foi montada de forma provisória. Não há previsão para o início das obras. O cronograma previa início das obras ainda na última segunda-feira (9).

Conforme o comandante da unidade, Sgto Clovis Maccari,uma das empresas que foi desclassificada no processo licitatório ocorrido no final do ano de 2014, entrou com mandado de segurança no Ministério Público por considerar injusto o motivo de sua desclassificação. “Tal processo acabou por causar transtornos, pois já havíamos esvaziado o prédio para que a empresa ganhadora do processo licitatório iniciasse as obras conforme cronograma”, lamentou o comandante.

Relatou que toda a estrutura do Corpo de Bombeiros está instalada provisoriamente em um prédio secundário da instituição. Orientou que quem precisar solicitar vistorias, análises de planos de segurança ou outros documentos e serviços deve agora se dirigir pela rua lateral pelo portão dos fundos do quartel. “Pedimos a compreensão de todos, pois precisamos aguardar a conclusão do processo no Ministério Público”, disse.

A empresa vencedora da licitação foi Maria Gonçalves Projetos e Construções que apresentou um valor de aproximadamente R$ 855 mil para execução de ampliação e reforma do prédio com a construção de um segundo pavimento em cima da rampa das viaturas, onde ficarão os alojamentos e vestiários dos soldados, além da construção de um auditório para palestras e treinamentos teóricos. Na parte de reforma está prevista a troca de todo o telhado e instalação elétrica, readequação de salas para a parte administrativa e atendimento ao público.