O Poder Judiciário da Comarca de Francisco Beltrão deferiu o pedido da Polícia Civil e converteu a prisão temporária de José Frizanco em prisão preventiva. A decisão foi comunicada à delegada Emanuelle Carolina Baggio, responsável pelo caso, na tarde desta quinta-feira (15).

Com a decisão, José Frizanco deve permanecer recolhido junto ao setor de carceragem temporária da 19ª SDP. Ele é investigado e principal suspeito pelo desaparecimento da esposa Marli da Silva Frizanco, 47 anos. O fato ocorreu em 29 de junho e desde então ela nunca mais foi vista. Nesse período, policiais civis se desdobraram na investigação com intuito de encontrar a costureira, viva ou morta.

Apesar de não ter sido localizada, outras provas foram juntadas ao inquérito policial apontando o marido José Frizanco como sendo o responsável pelo desaparecimento e, até mesmo, possível assassinato. Por conta dessa suspeita e de outras evidências, Fizanco teve a prisão temporária decretada em 16 de novembro, sendo preso dois dias depois. Além disso, em busca na casa do suspeito no dia 09 de dezembro, a polícia encontrou um revólver calibre 38 e um facão. As armas estavam escondidas embaixo da mesa, na cozinha e foram e encaminhadas para perícia.

Conforme a delegada, o inquérito policial foi concluído nessa semana e encaminhado ao Poder Judiciário e Ministério Público. O inquérito tem mais de 400 páginas, resultado do trabalho de investigação realizado nos últimos cinco meses.