Familiares de Geisiane Camargo, 24, suspeita de no último domingo(01) ter ferido seu filho, Vitor Gabriel Silveira Oliveira, ocasionando a morte do garoto de seis anos, estão contestando a declaração de que a mulher era agressiva, gostava da criança e de que tinha problemas mentais.

12211054_1519652188345951_613443787_o
  • Compartilhe no Facebook

“Era muita pressão e eu acho que no desespero ela tentou fugir e encontrou um jeito totalmente errado”, disse Viviane.

De acordo com informações pela sua irmã, a mesma vivia há cinco anos incomunicável e sob forte pressão psicológica pelo marido e seus respectivos familiares, até que no último domingo após utilizar-se, possivelmente de faca, feriu o garoto e na sequência ingeriu grande quantidade de medicamentos tentando o suicídio. Após ser socorrida foi levada ao Hospital Santa Pelizzari e morreu, tendo como causa provável, intoxicação.

Após a repercussão do fato, Viviane Brasil Silveira, contou ao RBJ que sua irmã vivia sobre intensa coação sem poder se comunicar nem mesmo com mãe, pai e irmãos. “A gente sabia que ela não passavam bem”, disse a irmã. O relato é de que Geisiane não podia andar sozinha na rua, sem estar acompanhada ou pelo marido ou pais deste. Contou ainda que foram impedidos de acompanhar o seu tratamento de saúde, uma vez, que sofria de epilepsia.Também não podiam visita-lá com medo da reação dos familiares do marido. “A minha irmã vivia um terror, cinco anos isolada”, lamentou Viviane, acrescentando que também não podia estudar ou trabalhar.

Sobre o fato do último domingo, Viviane, disse que o ato pode ter sido uma forma errada de fugir de toda a situação em que vivia juntamente com seu filho, a quem sempre se dedicou e temia pela sua perda, diante das ameaças dos familiares do esposo. Ouça o emocionado relato da irmã de Geisiane Camargo que faleceu na tarde desta quarta-
feira.