O IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) publicou portaria de permissão para prospecção arqueológica na área de implantação da linha de transmissão de energia da PCH Foz do Estrela, em construção no Rio Iratim, no município de Coronel Domingos Soares.

Com potência de 29,5 megawatts, a central hidrelétrica estará conectada à subestação da Copel (Companhia Paranaense de Energia) em Palmas, numa distância de 50 quilômetros. O trabalho arqueológico terá a coordenação do arqueólogo Valdir Luiz Schwengber, com apoio institucional do Laboratório de Arqueologia e Etnologia e EtnoHistória-Universidade Estadual de Maringá (UEM).

De acordo com o IPHAN, a prospecção arqueológica tem como objetivo identificar sítios e elementos de interesse arqueológico, como ocorrências arqueológicas, áreas de captação de recursos, entre outros.

O projeto da PCH tramita na Agência Nacional de Energia Elétrica desde 2002. Em abril de 2014 foi realizada a Audiência Pública, onde foram apresentados os Estudos e Relatórios de Impacto Ambiental. Conforme o projeto, a barragem para formação do reservatório terá 292 metros de extensão entre as margens do rio e 46 metros de altura máxima. O lago da PCH Foz do Estrela terá 181 hectares de área, sendo que 47 hectares representam o leito natural do rio. A área inundada será de 134 hectares.

Em dezembro de 2017, o empreendimento da São Luiz Energética fechou contrato de venda de energia em leilão realizado Agência Nacional de Energia Elétrica. A central hidrelétrica deverá vender 4,6 milhões MW/h (megawatts/hora) à R$ 220,74 cada MW/h. Ao todo, a obra deverá contar com investimento superiores a R$ 270 milhões.