Aconteceu na última semana, em União da Vitória, sul do Paraná, uma reunião técnica sobre a implantação de uma usina termelétrica movida à biomassa na região.

Pariciparam do evento o vice-prefeito de União da Vitória, Jair Brugnago, o chefe regional do IAP, André Aleixo, o presidente da ACEUV – Associação Comercial de União da Vitória, Daniel Breyer, a presidente da CACESUL, Maria Salete Mello, o presidente da AMSULPAR e prefeito de Cruz Machado, Antônio Szaykowski, além do deputado estadual Hussein Bakri (PSC), do Professor-Doutor da Uniuv, Roberto Pedro Bom, do diretor de desenvolvimento de negócios da Copel, Jonel Nazareno Iurk e um público de mais de 500 pessoas.

Durante a reunião, foi explanado todo o potencial madeireiro do sul paranense, demonstrando em números, a capacidade que as cidades de toda a região têm em fornecer o combustível necessário, no caso o cavaco, para a implantação da Termelétrica. Na outra ponta, os representantes da Copel apresentaram dados da estatal, para o conhecimento dos futuros sócios da companhia. Além disso, foram esclarecidos pontos sobre os trâmites para que a Copel possa participar de leilões de energia do Governo Federal. Dessa forma, a Copel pede garantias de que os madeireiros da região terão condições reais de fornecer combustível por 25 anos para a usina, tempo de duração do contrato de venda que será assinado com o Governo Federal.

Uma das ideias propostas pela própria Copel, é de que os produtores se reúnam por meio de uma cooperativa, garantindo produção, além da possibilidade de se firmar um contrato inicial com os madeireiros com preço inicial de data-base, para que se tenha um preço garantido no fornecimento de matéria-prima.