Visando conversar diretamente com os adolescentes, o Centro de Atenção Psicossocial – CAPS e a Secretaria de Educação iniciaram, na última semana, um projeto piloto de prevenção a álcool e drogas. O objetivo é desenvolver ações a partir do que os próprios alunos levantarem como importante ou deficitário.

Estão envolvidos cerca de 300 alunos, dos 9º anos das escolas estaduais e núcleos de ensino do Município. “Nós pensamos em verificar o que os adolescentes querem, através de roda de conversa. Em muitos momentos algumas ações são impositivas, e neste momento queremos fazer diferente, vendo o que eles pensam ser o melhor foco e abordagem”, explica a Coordenadora do CAPS, enfermeira Danieli Verdi.

Para isto, o primeiro momento do projeto envolveu profissionais multidisciplinares do próprio CAPS e da educação em sala de aula, com a utilização de vídeo interativo, debate, perguntas para instigar reflexões e por fim, por escrito, para quem não conseguiu se expressar em voz alta. A partir disso, será feito uma análise do material coletado e projetado ações que vão ao encontro das necessidades apresentadas.