Por Evandro Artuzi com informações da AEN
A fábrica francesa de alimentos Jacquet produzirá biscoitos, pães e bolos prontos em Guarapuava, região central do Paraná. A unidade foi inaugurada no fim da tarde de quinta-feira (08/11) com a participação de executivos franceses, brasileiros, representantes do Governo do Estado e da prefeitura local. O investimento de cerca de R$ 40 milhões foi enquadrado no programa Paraná Competitivo.

A fábrica é a primeira fora da Europa e é resultado da parceria do grupo paranaense Guerra com a também francesa Limagrain que trouxeram a marca Jacquet ao Brasil. “Priorizamos o mercado consumidor brasileiro que é um dos mais importantes do mundo. Um mercado que no nosso setor cresce mais de 15 % ao ano. E estamos chegando com produtos com alta tecnologia e muito competitivos”, afirma o CEO da Jacquet Brasil, Emmanuel Aimond.

Para os dirigentes das empresas, a parceria com o Governo do Estado aliada ao bom momento econômico e industrial do Paraná foram decisivos para o empreendimento. “O empenho do governo Beto Richa foi fundamental para a consolidação dessa unidade. Tivemos em todos os momentos o suporte do próprio governador e de seus secretários de estado com o Paraná Competitivo”, acrescenta o gerente-executivo do grupo Guerra, Ricardo Guerra.

De acordo com Onildo Bevenho, da Secretaria da Fazenda, que representou o governador em exercício Flavio Arns no evento, o investimento da Jacquet em Guarapuava é mais um etapa do processo de industrialização do interior. “São R$ 19 bilhões em novos empreendimentos em todas as regiões do Paraná”.

EMPREGOS – Na primeira etapa, a unidade, que ocupa um terreno de 100 mil metros quadrados às margens da BR 277, produzirá bicoitos, bolos e pães prontos com o foco nos mercados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. Nesse período devem ser gerados cerca de 150 empregos diretos. “Com as novas linhas e a expansão do nosso portfólio devemos chegar a gerar de 600 a 800 empregos diretos”, disse Ricardo Guerra, ao afirmar que o próximo passo é a construção de um Centro de Distribuição no complexo.

Segundo ele, Guarapuava foi escolhida por alguns motivos. O primeiro deles é a grande produção de trigo na região, a cidade tem a maior produção de trigo per capita no Brasil. Outro fator é o posicionamento geográfico que permite a logistica dos produtos tanto para o Paraná quanto para outras praças nacionais. “Estamos no centro do Paraná, com fácil acesso aos portos e aos mercados do Mercosul”.

Para o prefeito de Guarapuava, Fernando Ribas Carli, a instalação da indústria vai além da geração de mais renda e empregos para a cidade. “Ganhamos com inovação tecnológica e com agregação de valor à nossa produção de trigo. Teremos desenvolvimento economico, social e tecnológico”.

Ouça Luiz Fernando Guerra (Presidente Grupo Guerra)em entrevista à Onda Sul FM