Um grupo de aproximadamente 20 indígenas adentraram nesta sexta-feira(12) na área da Fazenda Papuã, de 1.700 hectares, entre Abelardo Luz e Ipuaçu, em Santa Catarina, que há três meses vem sendo ocupada por 500 famílias do MST – Movimento Sem Terra. Conforme informou o site Guia Abelardo Luz, representantes do Setor Policial e do Poder Judiciário catarinense sobrevoaram a região no início da tarde desta sexta-feira(12) para acompanhar a situação.

A área em questão foi ocupada em junho deste ano e no mês seguinte foi realizada no Forum de Abelardo Luz, a primeira audiência pública em que participaram trabalhadores rurais do Movimento Sem Terra, proprietários e o juiz agrário do Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Na ocasião ficou estabelecido que os proprietários se mobilizariam em torno de ações judiciais e administrativas para regularizar a condição de propriedade e o movimento permanece na área até 15 de janeiro de 2015 acompanhando esse processo.

Conforme o Movimento das 530 famílias 80% são de Abelardo Luz e as demais de Palmas e Clevelândia, no Paraná e, Xanxerê, Entre Rios, São Domingos, Bom Jesus, Ouro Verde, entre outros, em Santa Catarina. Conforme o MST sobre a área foi iniciada a produção de hortaliças e a criação de animais. Uma Unidade de Saúde e uma escola para as crianças das séries iniciais, de 1º ao 5º ano já estão em funcionamento. Crianças do 6º ao 9º ano frequentam a Escola da comunidade do Alegre do Marco, próximo do local.