Mais de 300 horas com temperaturas inferiores a 7.2º C foram registradas em Palmas, sul do Paraná, no período de abril a julho deste ano. Os dados são do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), que passou a divulgar um boletim quinzenal para auxiliar os produtores de maçãs no manejo de suas lavouras. O objetivo é ajudar os produtores a reduzir custos de produção, melhorar a qualidade dos frutos e aumentar o rendimento dos pomares.

Os dados são coletados a partir de três estações fitossanitárias instaladas em regiões diferenciadas no município. Na unidade instalada na Estação do Iapar, no Bairro Aeroporto, no perímetro urbano, foram medidas 138 horas de frio, num altitude de 1.100 metros.

A estação localizada no Pomar Lovo, localizado na estrada que liga Palmas  a Passos Maia(SC), num altitude de 1.149 metros, verificou-se 163 horas de frio.  Na altitude de 1.260 metros está a estação do Horizonte que registrou no mesmo período, 334 horas de frio inferior a 7,2ºC.

Conforme aagrometeorologista do IAPAR, Heverly Morais, algumas cultivares utilizadas na região de Palmas chegam a precisar de, no mínimo, 800 horas de temperatura inferior a 7,2ºC no período que vai de abril a setembro. O máximo já observado ali foi 706 horas, no ano 2000.

 

Acesse boletim