Infelizmente o surgimento da covid-19 e a necessidade de isolamento social, alteraram a rotina de todas as pessoas e impactaram também as doações de sangue em todo o país.

Com o coronavírus, a luta pela vida de várias pessoas passa por médicos, respiradores, tratamento intensivo, entre outros fatores indispensáveis. Mas é importante ressaltar, que em diversos hospitais, há sempre alguém precisando também, de sangue para continuar sobrevivendo.

Em entrevista à rádio Onda Sul, o diretor do hemonúcleo de Francisco Beltrão, Fábio Ebert, disse que a unidade apresentou uma oscilação nos últimos meses, quanto ao número de doadores.

“Nos meses de março e abril houve uma pequena queda, maio um pouco mais, junho foi o mês que nós nos surpreendemos porque teve uma doação exponencial, em plena pandemia, agora nos meses de julho e agosto novamente voltou a cair”.

O diretor destacou ainda, que no inverno já é esperado uma queda de 30%, devido as baixas temperaturas. Nos últimos dois meses, a baixa no hemonúcleo foi de aproximadamente cem doadores/mês.

“Isso acaba refletindo sim, mas não temos desabastecimento, mesmo com essa queda conseguimos manter nosso estoque dentro da regularidade, por isso da necessidade de nós necessitarmos sempre do doador diariamente”, destacou.

O hemocentro de Francisco Beltrão está localizado na rua Marília, 1327, bairro Luther King. O horário de coleta é das 8h ás 12h30, na parte da manhã, e das 13h30 às 14h30 na parte da tarde. Ouça na íntegra: