Após chegarem ao Brasil a maior parte dos Haitianos procura um local para se estabelecer. Em busca de um bom emprego e longe de suas famílias a maior parte deles (os Haitianos) vão para São Paulo capital. Quando não por vontade própria, estão sendo encaminhados para lá por políticas estaduais ou federais.

Em São Paulo, são acomodados na Igreja Nossa Senhora da Paz que todas às manhãs por volta das 10 horas recebe empresários que vem de diversos locais do país em busca de mão de obra. O perfil profissional médio é bem variável, de pessoas que não conseguiram terminar o ensino básico até formados em administração de empresas – como é o caso de Fenitho Duverna, 32 anos que busca salário entre R$ 3.000 (três mil reais) e R$ 5.000 (cinco mil reais) na construção civil. O objetivo dele é trazer sua esposa e seus dois filhos que ainda estão no Haiti para uma vida melhor aqui no Brasil.

A realidade, no entanto, não é a desejada. Em busca de bons salários muitos Haitianos tem recusado empregos devido ao baixo valor da contratação – em média a remuneração oferecida varia de R$ 800,00 (oitocentos reais) até R$ 1.300 (um mil e trezentos reais) – em alguns casos a contratação vem acompanhada de alojamento e vale-alimentação e em todos os casos oferecem Carteira de Trabalho assinada.

A CONTRATAÇÃO

O movimento de empresários durante todo o dia é grande e a procura por trabalhadores é ainda maior. No caso do empresário Jefferson Alves Silva de Três Lagoas (MS) que veio com intenção de contratar 30 (trinta) profissionais e no primeiro dia conseguiu contratar apenas 10 (dez): “Hoje vou coloca-los no avião e amanhã (Sexta-feira, 16/05/2014) volto para tentar pelo menos mais 10”.

APÓS A PARTIDA

Mesmo com a contratação de vários Haitianos, a missão de Paz promovida pelo Governo Federal, Governo Estadual do Acre e São Paulo continua, já que o Ministério Público do Trabalho deve acompanhar os rumos de cada um dos novos profissionais brasileiros. O objetivo do ministério público com este acompanhamento após a contratação é inibir a exploração de profissionais e permitir que os Haitianos imigrantes se estabeleçam com segurança no Brasil.

SAIBA COMO A MAIOR PARTE DOS IMIGRANTES HAITIANOS CHEGA NO BRASIL

Os conhecidos “Coiotes” da fronteira entre o México e Estados Unidos também estão na América do Sul. Por um valor próximo há U$ 2.000 (dois mil dólares) os Haitianos chegam ao Acre pelo país vizinho Peru em busca de uma vida melhor.