Em agosto de 2014, após tramitarem em regime de urgência na Assembleia Legislativa, os projetos de lei que autorizavam a construção os parques eólicos Serra da Esperança, Água Santa e Parque das Araucárias em Palmas, sul do Paraná, eram sancionados pelo governador Beto Richa (PSDB).

Os textos foram apresentados pelo então presidente da Casa, deputado Valdir Rossoni (PSDB), que justificou a importância dos empreendimentos aquecendo a economia do município no período da instalação dos aerogeradores e, na sequência, também beneficiará com uma parcela maior de impostos em razão da energia produzida.

No entanto, após todos os trâmites legais, o processo encontra-se em análise por parte do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), sem qualquer previsão para liberação. A Audiência Pública foi realizada ainda no mês de janeiro deste ano e a expectativa dos empreendedores era de que o Instituto Ambiental do Paraná (IAP), emitisse as licenças necessárias para que os projetos palmenses pudessem participar dos leilões de energia da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), o que não ocorreu.

O projeto prevê a instalação de mais de 70 aerogeradores, que deverão gerar 170 megawatts de energia, com investimentos superiores a R$ 1 bilhão.