Os bancários de diversos estados, entre eles o Paraná, decidiram entrar em greve nacional a partir desta terça-feira, dia 6 de setembro. A decisão foi tomada durante assembleias realizadas na quinta-feira, dia 1º de setembro. A informação foi divulgada nos sites da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e da Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito (Contec) e confirmada na manhã desta segunda-feira (05) pelo presidente do Sindicato dos Bancários do Sudoeste do Paraná, Valdir de Souza Oliveira, em entrevista à Rádio Onda Sul FM, de Francisco Beltrão.

Apesar da decisão nacional, na região a decisão deve ser tomada nas assembleias que serão realizadas em Pato Branco, na sexta-feira (08), e em Francisco Beltrão, na segunda-feira (12). Por enquanto o atendimento segue normal em as agências públicas e privadas.

Conforme Valdir, o motivo da paralisação da categoria é o mesmo que motivou a greve em 2015, ou seja, reajuste salarial. Pela proposta da Fenaban (Federação nacional dos Bancos) a categoria teria um reajuste de 6,5% no salário e os auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil, além de participação nos lucros e resultados. Porém, segundo o sindicato, essa proposta não cobre a inflação do período, projetada em 9,57% para agosto deste ano, e representa perdas de 2,8% para a categoria.

Valdir de Oliveira afirmou que os bancos têm condições plenas de conceder esse reajuste, pois o lucro dos cinco maiores bancos (Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Santander e Caixa) somente no primeiro semestre desse ano chegou a R$ 29,7 bilhões, no entanto houve corte de 7.897 postos de trabalho nos primeiros meses, o que também é preocupante por que os funcionários que permanecem estão adoecendo por conta da sobrecarga de trabalho e alto grau de estresse.

Ouça entrevista com Valdir de Souza Oliveira- Presidente do Sindicato dos Bancários do Sudoeste…