Beto Richa vistoriou as obras do Aeroporto acompanhado do prefeito Zucchi. Foto: Orlando kissner/ANPr
  • Compartilhe no Facebook

Beto Richa vistoriou as obras do Aeroporto acompanhado do prefeito Zucchi. Foto: Orlando kissner/ANPr

O Aeroporto Municipal Juvenal Loureiro Cardoso, em Pato Branco, será adequado para receber voos comerciais. O Governo do Estado vai investir R$ 2,7 milhões em obras de melhoria para atender as exigências da legislação aeroportuária. Nesta quinta-feira (30), o governador Beto Richa assinou a liberação dos recursos em cerimônia realizada em Pato Branco.

Durante sua visita ao município, Richa entregou também obras de saneamento e autorizou edital, no valor de R$ 9.4 milhões, para ampliação da Estação de Tratamento de Água da cidade.

Para estimular a aviação comercial na Região Sudoeste, além do repasse de verbas, o Governo do Estado ampliou o Programa Paraná Competitivo para incentivo fiscal das empresas interessadas em operar voos na cidade. A companhia Azul já estuda a possibilidade em criar uma linha entre Pato Branco e Campinas. “A região se torna mais competitiva, cria oportunidades de negócios e gera emprego e renda para as famílias paranaenses”, afirmou o governador.

Richa ressaltou que os investimentos do Estado nos municípios é histórico, e isso só tem sido possível graças ao planejamento estratégico para equilíbrio das contas públicas. “Todos os paranaenses contribuíram para que o Paraná seja o estado com a melhor situação financeira do país”, afirmou.

O prefeito de Pato Branco, Augustinho Zucchi, disse que o objetivo é transformar a cidade em destino regular de viajantes já que, anualmente, 7,5 mil passageiros da região Sudoeste utilizam o aeroporto de Chapecó (SC). “A adequação deste aeroporto é imprescindível para o desenvolvimento da região. Com os voos saindo de Pato Branco, agiliza-se o deslocamento e tornamos a região mais viável para atração de empresas”, afirmou.

O presidente da Cooperativa Agropecuária Tradição, Julinho Tonus, já faz planos para expandir os negócios com o aeroporto operando. “Trabalhamos diretamente com multinacionais e, por não termos um aeroporto em funcionamento, ainda não conseguimos trazer nenhuma para cá. A partir do momento em que os voos estejam em funcionamento, vamos conseguir atrair novos investimentos pelo espírito de cooperativas”, disse

As obras do aeroporto preveem recapeamento da pista de pouso, instalação de sinalização do pátio de manobras e melhorias na segurança final das cabeceiras da pista.