O governo federal anuncia, nesta sexta-feira (06) em Francisco Beltrão, a duplicação da BR-163, entre a Ponte do Iguaçu e o entroncamento da BR-277, próximo a Cascavel. E assina a ordem de serviço da restauração e manutenção da mesma rodovia federal, entre Marmelândia e Barracão, na fronteira com a Argentina. A notícia foi confirmada nesta quarta-feira (04) pelo superintendente do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte), José da Silva Tiago, ao deputado federal Assis do Couto. Com o anúncio, a duplicação do trecho está prevista para ser licitada até abril do próximo ano.

O anúncio da duplicação e a assinatura da ordem para a restauração acontecem simultaneamente à cerimônia de entrega de máquinas para recuperação de estradas do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento). A cerimônia começa às 14h, no Centro de Eventos do Parque Jayme Canet Júnior. É aguardada a presença de dezenas de prefeitos das regiões Sudoeste e Oeste do Paraná, deputados, e da ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann.

O deputado Assis do Couto comemorou a notícia. “Essa duplicação é uma luta antiga da sociedade e vai fazer um bem enorme para as duas regiões, Oeste e Sudoeste do Paraná”, disse. “Eu passo por essa rodovia toda semana. É visível a necessidade de duplicação e restauração desta rodovia para aumentar a segurança das milhares de vidas que trafegam por essa rodovia”, completou o parlamentar.

Durante este ano, o deputado Assis do Couto realizou várias reuniões, com a superintendência regional do DNIT e até mesmo com a direção-geral do departamento, em Brasília, sobre as obras na rodovia, entre Cascavel e Barracão. A recuperação do trecho até a fronteira, inclusive, já está em andamento.

A duplicação do trecho da BR-163, entre Marmelândia na Ponte do Rio Iguaçu, a Cascavel, está inclusa no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e no PPA (Plano Plurianual) do governo federal desde 2012. A restauração do trecho entre Barracão e e Marmelândia é feita através do CREMA (Contrato de Restauração e Manutenção de Rodovia), onde a empresa vencedora tem três anos para restaurar o trecho e mais dois anos para conservar o perímetro.