Após a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) ter autorizado um reajuste de 14,61% e o governador do Estado, Carlos Alberto Richa (PSDB) ter barrado o aumento, a Companhia Paranaense de Energia (Copel) voltou atrás. Com isso os paranaenses vão pagar mais caro na conta de luz. Para os clientes residenciais o aumento é de 8,77%. Na média geral para todos os clientes (tensão alta e baixa), o reajuste é de 9,55%. Esse reajuste, tem data retroativa ao mês de junho, ou seja, as contas emitidas entre o dia 24 de junho e 09 de julho terão de pagar a diferença nas próximas faturas.

No dia 20 de junho, quando a Copel solicitou junto à ANEEL o reajuste na tarifa de energia, a Agência autorizou o um percentual maior que o solicitado pela estatal paranaense. Na ocasião, Beto Richa, suspendeu o aumento, à exemplo do ex-governador Roberto Requião, que durante o período em que esteve à frente do Executivo paranaense, também barrou, em mais de uma ocasião, os aumentos nas contas de energia dos paranaenses. A Copel afirmou que aplicaria o reajuste na íntegra, mas o governador convocou uma reunião com a diretoria da Companhia, para discussão da nova tarifa.

Os novos valores foram apresentados pela Copel à Aneel na última quinta-feira (4) e autorizados nesta terça-feira (09). O reajuste atual só foi menor que o anterior proposto, porque a diferença de aproximadamente 5% será repassada aos consumidores no próximo ano.