Ao desembarcar em Pato Branco, Sudoeste do Estado, para uma série de compromissos no município, o governador Beto Richa (PSDB), pegou de surpresa até mesmo os prefeitos da região que são mais próximos a ele como o caso de Augustinho Zucchi (PDT), ao anunciar a suspensão dos estudos do Corredor Sudoeste.

Conforme o governador, a suspensão é temporária, mas servirá para o governo e DER (Departamento de Estradas de Rodagem) estudar as propostas apresentadas durante as duas audiências públicas realizadas em Pato Branco e Francisco Beltrão, nos dias 7 e 8 de dezembro.

O governador garantiu que nada seja feito sem o consentimento da população. “Vamos amadurecer as ideias, tenta aprimorar, aperfeiçoar ainda mais um formato que esteja dentro daquilo que as pessoas esperam, que possa satisfazer os interesses, a capacidade também de eventualmente se cobrar alguma tarifa para as obras de duplicação dessa rodovia (…….) Vamos analisar as propostas das audiências, inclusive uma que é de formar cooperativas, vamos ver se, primeiro é viável, e segundo se é possível fazer uma obra desse porte de duplicação e qual seria o preço cobrado por essa obra.  

Ouça a entrevista concedida à imprensa de Pato Branco….

 

Empresas de transporte e empresários da região são contra o pedágio

Reunião realizada na noite de quarta-feira (14) na sede do Sinditac, em Francisco Beltrão.
  • Compartilhe no Facebook

Reunião realizada na noite de quarta-feira (14) na sede do Sinditac, em Francisco Beltrão.

Na noite desta quarta-feira (14) empresas de transportes da região e empresários realizaram um reunião em Francisco Beltrão para debater o assunto pedágio. Na ocasião, foi criada uma comissão para manter um dialogo com o Governo do Estado, a fim de impedir a privatização do trecho denominado “Corredor Sudoeste”, entre Palmas e Realeza. O movimento  é denominado “Sudoeste sem Pedágio”.

De acordo com o diretor do Sinditac (Sindicato dos Transportadores Autônomos do Sudoeste), Gilberto Gomes da Silva, as entidades não aceitam pedágios na região, por isso estão se unindo para debater com o Governo do Estado. ” Não queremos fechar rodovias ou promover badernas, muito menos transformar o debate num palanque político, por isso estamos nos organizando através de uma comissão para conversar e apresentar nosso ponto de vista”, disse.

O empresário Antonio Frozza, de Marmeleiro, faz parte da comissão e defende o debate. Em entrevista à Rádio Onda Sul FM, garantiu que outros empresários da cidade e região também apoiam a iniciativa e devem se juntar ao grupo. Além disso, foi mantido contato com a Fiep (Federação das Indústrias do Estado do Paraná), a qual disponibilizou assessoria jurídica para acompanhar todas as tratativas junto do Governo do Estado. Frozza afirma que o pedágio retardaria o desenvolvimento do Sudoeste, visto que o valor proposto é muito alto e as empresas de transporte deixariam de circular com mercadorias pela região.

Ouça as entrevistas, na íntegra….