O gerente da Sanepar de Francisco Beltrão, Lindomar José Votteri, participou da sessão da Câmara de Vereadores de Renascença, na terça-feira (7). O gestor respondeu aos questionamentos dos vereadores, falou dos investimentos da Sanepar no sistema de abastecimento de água e explicou sobre o andamento do projeto para ampliação do sistema de esgoto sanitário da cidade.

Lindomar falou que está em andamento o projeto de interligação do sistema de abastecimento com a cidade de Marmeleiro, a fim de garantir o fornecimento de água tratada aos 4,4 mil moradores da área urbana. Desde 2014, a Sanepar busca novo manancial de abastecimento que possa atender a necessidade e suprir o crescimento da cidade para os próximos anos.

“Foram perfurados pelo menos cinco poços e nenhum apresentou condições técnicas favoráveis. A melhor opção foi a de interligar o abastecimento dos dois municípios”, explicou. O gerente disse que para atender aos dois sistemas a Estação de Tratamento de Água de Marmeleiro está sendo ampliada e modernizada. “São investimentos de mais de R$ 1 milhão”.

Em Renascença, a Sanepar implantou mais um reservatório para armazenar 100 mil litros de água e foram feitas melhorias no sistema de distribuição de água, implantadas novas redes e modificado o sistema de bombeamento de água do poço que abastece a cidade.

Outro ponto abordado pelo gerente foi em relação à implantação do sistema de pós-tratamento e de um emissário de esgoto para transportar o efluente tratado para o Rio Santana. Lindomar solicitou apoio do Legislativo. “Os proprietários precisam entender a importância e a necessidade de implantação da estrutura de esgoto para cidade e por isso pedimos o apoio dos membros da câmara”, argumentou Lindomar.

Os vereadores questionaram sobre os odores da estação de tratamento. O gerente explicou que a unidade de tratamento está instalada e opera atendendo a legislação ambiental e que a Sanepar já tomou medidas para minimizar os impactos dos gases resultantes do processo de tratamento do esgoto. “A tampa do reator foi vedada e está sendo aplicado agente oxidante que reduz os odores nas áreas circunvizinhas”, explicou o gerente. Além disso, estão sendo plantadas árvores no entorno da estação de tratamento para formar a cortina verde. “As plantas contribuem com a verticalização dos ventos e com a dissipação dos odores oriundos do esgoto”, afirmou o gerente.