por Ivan Cezar Fochzato/Cristiano Netto

 

É intensa a movimentação de operários e maquinários envolvidos na implantação dos parques de geração de energia eólica.Em território do município catarinense de Água Doce, às margens da rodovia PRC 280, ao mesmo tempo que estão sendo implantadas as bases de sustentação das torres de cem metros de altura para sustentação dos aerogeradores, na região do Morro do Vigia, vias de acesso estão sendo construídas para implantação de novos mecanismos de sustentação na região do Restaurante Renascença.Além das bases estão sendo instalados os postes que conduzirão a energia gerada em cada unidade até a substação que também está em fase de instalação.
 
 
Ao todo, o projeto prevê a instalação seis parques geradores com diversas unidades terão capacidade de geração de 125,8 megawatts, através de seis parques Cascata (4.8 MW), Campo Belo (9.6 MW), Aquibata (30 MW), Salto (30 MW), Amparo (21.4 MW) e Cruz Alta (30 MW). Nos campos de Palmas, há 30 quilômetros de Palmas os novos parques, deverão estar operando até maio de 2011, com investimento desuperior a 1 bilhão de reais, pela multinacional IMPSA.

 

A prefeita de Agua Doce, Nelci Bortolini, analisou o investimento que está sendo feito em seu município. Com 7 mil habitantes, Água Doce arrecada em média R$ 1 milhão mensal, 85% do setor agrícola, e vê nos ventos uma chance de mudanças. Confira áudio.