Eduardo Gaievski, ex-prefeito de Realeza, foi condenado a 16 anos e 11 meses de prisão em regime fechado por abuso sexual de uma adolescente de 12 anos. Segundo o advogado de acusação Natalício Farias, essa é a sexta condenação de um total de 14 processos contra Gaievski. A sentença, do juiz Luiz Fernando Montini, é de sexta-feira (14).

A pena total de Gaievski, até agora, soma 101 anos e 5 meses de prisão. Dos 14 processos pelos quais ele responde, 13 são por estupro de adolescentes e um por corrupção de testemunhas. Em cinco processos o ex-prefeito foi considerado inocente, mas ainda faltam ser julgados outros três processos.

Gaievski está preso desde 2013, e cumpre a pena na Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac), em Barracão, também no Sudoeste. De acordo com as denúncias do Ministério Público (MP), ele aliciava as adolescentes empregos na prefeitura de Realeza na época em que era prefeito.

Conforme Farias, recentemente o MP entrou na Justiça com um pedido de indisponibilidade de bens de Gaievski porque a suspeita é de ele teria usado da influência do cargo e de bens públicos para cometer os crimes.