Por Evandro Carlos Artuzi 

Fonte: www.noticiaspoliciais.com.br 

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – GAECO, Núcleos Regionais de Guarapuava, Curitiba, Cascavel e Foz do Iguaçu, juntamente com as Promotorias de Justiças de Laranjeiras do Sul e com a Corregedoria-Geral da Polícia Civil realizaram nesta quinta feira (11), o cumprimento de sete Mandados de Prisão Preventiva e três Mandados de Busca e Apreensão, nas Cidades de Guarapuava, Laranjeiras do Sul, Santa Helena, Rio Bonito do Iguaçu, Cascavel e Foz do Iguaçu.
A Operação foi fruto de investigações que resultou em duas Ações Penais ajuizadas em face de sete servidores públicos da 2ª Subdivisão Policial de Laranjeiras do Sul, pelos crimes de corrupção passiva (art. 317, do Código Penal). Dos cumprimentos dos Mandados de Busca e Apreensão e Prisão Preventiva, resultaram na apreensão de uma arma de fogo na posse de um funcionário da Prefeitura de Laranjeiras do Sul que atuava cedido para a Delegacia de Laranjeiras do Sul, certa quantia em dinheiro e documentos diversos.
Foram presos o Delegado da Polícia Civil, Chefe da 2ª Subdivisão Policial de Laranjeiras do Sul, Dr. Joaquim Antonio Figueira (Preso na DP de Laranjeiras), os Investigadores da Polícia Wilson Urbano (Preso na DP de Laranjeiras) e Marlon Eder de Souza (Preso em Foz do Iguaçu), os Escrivães de Polícia Jorge Vargas Leite (Preso em sua casa em Laranjeiras do Sul) e Mario Viante Junior (Preso em sua casa em Guarapuava), e os funcionários públicos municipais Gelson Luiz dos Santos (Preso em casa no município de Rio Bonito) e Giovane Jones Bech (preso em casa em Laranjeiras do Sul), cedidos, respectivamente, pela Prefeitura de Laranjeiras do Sul e Nova Laranjeiras do Sul.
Os três primeiros citados são acusados do crime de corrupção passiva, que ocorreu no interior da Delegacia de Laranjeiras do Sul, no dia 13 de outubro de 2010, quando solicitaram e receberam vantagem indevida para liberar o motorista e um caminhão carregado de contrabando de cigarro, que posteriormente veio a ser preso e apreendido pela Polícia Federal de Guarapuava.
Os outros quatro agentes públicos também são acusados de um crime de corrupção passiva, ocorrido no dia 03 de julho de 2010, no interior do Município de Nova Laranjeiras, quando solicitaram e receberam para si, vantagem indevida, para liberarem uma pessoa detida e presa ilegalmente por eles.
A investigação demonstrou que setores da população confiam na ação do Ministério Público e do Poder Judiciário, visando o combate a corrupção e limpeza moral e ética das Instituições do Estado, a qual, diga-se de passagem, estão acima e são muito maiores do que os seus servidores corruptos e mal intencionados.
O Gaeco é o braço do Ministério Público do Estado do Paraná que trata do combate ao crime organizado e do controle externo da atividade policial.
O presidente da OAB subseção de Laranjeiras do Sul, Almir Machado, disse que o caso deve ser avaliado minuciosamente para que não seja feito um julgamento precipitado.
A investigação dos envolvidos e a operação de prisão desta quinta-feira (11), foi coordenada pelo Promotor do Gaeco, de Guarapuava, Claudio Cortesia.

OUÇA