1914876_1047979248605925_4848884804189644512_n
  • Compartilhe no Facebook

Operação Tiradentes, no centro de Palmas/PR

Investigação GAECO constatou que servidores públicos não seguiam ao trabalho e realizavam serviços particulares em seus consultórios. Sete odontólogos de Palmas, sul do Paraná, deverão ser denunciados Ministério Público pelos crimes de falsidade ideológica, estelionato e peculato após investigação pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), que realizou na manhã de hoje (22) a Operação Tiradentes no município. Durante as investigações constatou- se que os dentistas atendiam em seus consultórios particulares nos horários que deveriam estar atendendo no setor público. Um dos odontólogos investigados foi preso em flagrante. Farto material de informática e documentos foram apreendidos junto a Departamentos da Prefeitura e em consultórios odontológicos.

Conforme o coordenador do Gaeco, Núcleo de Francisco Beltrão, promotor Roberto Tonon Junior, o trabalho de levantamento de informações e trabalho de campo vinha sendo realizado desde o final ano passado, em apoio à promotoria local. “Atuamos na busca de provas para respaldar as suspeitas de desvios. São funcionários públicos remunerados para um serviço que não estava sendo prestado com a forma devida, desviando para atividades privadas e deixando descoberto o público que os remunera”, disse ele.

O promotor de Justiça da Comarca, José de Oliveira Junior, contou que as primeiras denúncias surgiram em novembro do ano passado por pessoas que não concordavam com a prática dos odontólogos. “Dentistas do município batiam ponto eletrônico e se deslocavam para seus consultórios para atendimento particulares e, posteriormente. retornavam para bater o ponto novamente”, relatou. Dessa forma os profissionais estavam cometendo crimes de falsidade ideológica por prestar uma informação indevida ao setor de controle do ponto; estelionato por buscar auferir uma vantagem através de uma irregularidade e ainda peculato próprio.

farto
  • Compartilhe no Facebook

Material apreendido durante Operação

Os nove odontólogos do setor público de saúde do município passaram, então, a ser investigados pelo GAECO, sendo houve fortes indícios de crimes por parte de apenas sete profissionais. Conforme o promotor, de forma bastante clara, contra três odontólogos foram materializadas diversas provas, fotografias e filmagens realizadas pela equipe do GAECO e Setor de Inteligência da Polícia Militar. “Tanto que nessa data, um dos investigados, dentista Dr Luis Diavão, acabou sendo preso em flagrante em seu consultório fazendo serviço particular no horário de expediente, depois de ter batido ponto para o serviço público”, relatou o promotor. Contou ainda a situação, que considerou esdrúxula,  em que uma dentista no horário de expediente ia ao supermercado fazer compras”, relatou.

Todo o material apreendido será analisado para que seja comprovado e demostrado por quanto tempo foram cometidos tais crimes e para apurar o prejuízo ocasionado aos cofres públicos. Caso sejam condenados deverão devolver o dinheiro correspondente ao município.

O promotor agradeceu o empenho do GAECO coordenado pelo promotor, Roberto Tono Junior. que gerenciou toda a investigação. “Agora brevemente serão concluídas as investigações criminais para posterior oferecer denúncia ao Poder Judiciário”, disse ele. Relatou ainda que será instaurado Inquérito Civil Público para apurar ato de improbidade administrativa.