Em campanha para evitar perdas salariais e benefícios e manifestar-se contra a privatização dos Correios, funcionários da agência  em Palmas, sul do Paraná, entraram em greve por tempo nesta quarta-feira (27), após assembleia da categoria. Em nível nacional o movimento foi iniciado há uma semana. Mesmo com a greve, os serviços são realizados, com morosidade, pela equipe de gestão da unidade.

A pauta local segue a orientação nacional  que é  contrária a pressão para a adesão ao plano de demissão voluntária; ameaça de demissão motivada com alegação da crise;  ameaça de privatização;  corte de investimentos em todo o país;  falta de concurso público; redução no número de funcionários; mudanças no plano de saúde e suspensão das férias para todos os trabalhadores, exceto para aqueles que já estão com férias vencidas. “Nós não estamos pedindo aumento salarial, mas sim, a manutenção e garantia de nossos direitos conquistados com muita luta”, explicou a representante local do movimento, Eliane Santos.

Lembrou que é a primeira vez que os servidores dos Correios de Palmas realizam greve, mas que a situação está cada vez mais difícil, inclusive penalizando os usuários que enfrentam demora no atendimento pela falta de servidores. “ Peço a compreensão da população de Palmas, a qual respeitamos muito”, finalizou.