Uma equipe de pesquisadores da áreas de infectologia e parasitologia vinculados a UFPR e Fio Cruz, estiveram em Palmas, sul do Paraná, coletando materiais de animais de pequeno, médio, grande portes, especialmente de  morcegos. O objetivo da pesquisa é detectar algum tipo de doença infecciosa ou ectoparasita que possa ser transmitido para humanos.

As amostras coletadas em uma fazenda na área da Unidade Conservação Federal Refúgio da  Vida Silvestre dos Campos de Palmas(REVIS) serão avaliadas pela Fio Cruz, no Rio de Janeiro. A previsão é que o resultado seja divulgado em sessenta dias.

O trabalho de pesquisa é financiado pelo Governo Federal, através dos Ministérios de Ciência e Tecnologia, Meio Ambiente e IcmBio, gestor da unidade de conservação nos Campos de Palmas.

A equipe de pesquisadores é integrada por  Liliani  Marília Tiepolo( coordenadora); Nubya Gonçalves Cavallini, bolsista técnica e Mestranda em Desenvolvimento Territorial Sustentável, da UFPR Litoral;  pesquisadores da Fio Cruz, Sócrates Fraga da Costa Neto, Bruno Alves Silva, Vinícius Cardoso Claudio, Caryne Braga –  Doutora Núcleo de Pesquisa Ecológica de Macaé (NUPEM/UFRJ)

O grupo, que permaneceu no município vários dias, tem como campo de atuação  o Bioma Mata Atlântica e teve o projeto de pesquisa selecionado em chamada pública. Para o trabalho de  captura dos animais foram utilizadas armadilhas, seguindo os protocolos de proteção ambiental.