Por Everton Leite

 

Francisco Beltrão vive a expectativa de receber o terceiro crematório do estado do Paraná. Os outros existem em Pinhais e Campina Grande do Sul. Mas como toda a novidade, possui os beltronenses a favor e os contrários. Para tanto, a administração municipal reuniu ontem, 13, na câmara de vereadores os órgãos competentes na liberação do crematório, a imprensa e algumas pessoas interessadas em entender o funcionamento do novo empreendimento.

 

O proprietário que está pleiteando a nova empresa é Milton Inocêncio que mantém há 36 anos a administração da Unifas.

 

O terreno pretendido fica a 400 metros da empresa Raffer, longe do centro da cidade. Mesmo assim, circulou um abaixo-assinado tentanto evitar a efetivação do Crematório em Francisco Beltrão.

 

O diretor do Instituto de Planejamento e Pesquisa Urbana de Francisco Beltrão, o arquiteto Dalcy Salvati, se posicionou, falando em nome da prefeitura. Ele disse que a administração é favorável ao crematório e reconhece o desenvolvimento regional que este empreendimento trará.

 

Levantamentos preliminares de funcionários do Instituto Ambiental do Paraná, representado na reunião pelo profissional José Wilson de Carvalho dão conta de que não há restrição quanto ao local escolhido, nem com os prejuízos ambientais que um crematório pode trazer.

 

Representando uma comissão de proprietários de terrenos próximos ao local onde será construído o crematório, o seu José Carlos Mocelini manifestou o seu repudio ao local destinado ao novo empreendimento. Ele afirma que tem valores sentimentais, psicológicos e sócioeconômico envolvidos na construção do crematório.

 

OUÇA