Os hemocentros sofrem com a falta de doadores nessa época do ano. Segundo informações da Secretaria de Saúde do Paraná, as doações de sangue chegam a cair até 30%. O número de vítimas principalmente no trânsito aumenta significativamente, indo na contramão do número de doadores, acarretando assim, no desabastecimento dos bancos de sangue.

O número de doadores regulares no Brasil é de apenas 1,9% da população, índice muito abaixo da média considerada ideal pela OMS (Organização Mundial da Saúde), que varia entre 3% a 5%. Em 2014, foram realizadas 3,7 milhões de doações.

O motivo para a falta de doadores nessa época de festas e final de ano, pode ser justificado por viagens ou por não estarem aptos à doação. Em Francisco Beltrão o número de doadores aumentou nos últimos dias. Em apenas um dia, o hemocentro da cidade recebeu mais de 30 doadores de uma só vez para repor o banco de sangue. O número impressiona, principalmente nesse período.

Campanhas realizadas por familiares e amigos de pessoas que necessitam de doações, feitas inclusive pelas redes sociais, foram fundamentais para atingir esse resultado. A conscientização sobre a importância de se tornar um doador, pode ser constatada diariamente nos mais diversos meios de comunicação, com campanhas realizadas pelo governo. Porém nem todos podem ser doadores e alguns critérios precisam ser respeitados.

Para ser um doador basta estar dentro dos seguintes requisitos básicos:

  • Estar em boas condições de saúde;
  • Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos;
  • Pesar no mínimo 50kg;
  • Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas);
  • Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação);
  • Apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial.

É importante frisar que existem alguns impedimentos temporários, se o doador se encaixar em alguns dos casos citados abaixo, não poderá realizar a doação:

  • Resfriado: aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas;
  • Gravidez;
  • 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana;
  • Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses);
  • Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação;
  • Tatuagem nos últimos 12 meses;
  • Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses.

É importante respeitar o intervalo para doações:

  • Homens – 60 dias (máximo de 04 doações nos últimos 12 meses).
  • Mulheres – 90 dias (máximo de 03 doações nos últimos 12 meses).

 

(Fonte: Fundação pró-sangue)