Por Evandro Artuzi com informações da Assessoria
A Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) teve sete projetos e programas contemplados com recursos pelo Programa de Extensão Universitária (ProExt)2013 – MEC/SESu, sendo que dois deles serão desenvolvidos pelo Campus de Realeza. Com ênfase na inclusão social, as duas iniciativas são voltadas à promoção da saúde e sustentabilidade para as famílias da região Sudoeste do Paraná.

 

Um dos projetos tratará sobre “Energias Renováveis e Sustentabilidade: Confecção de Coletores Solares de Baixo Custo”, desenvolvido pelo curso de Ciências. À frente do trabalho está o professor da UFFS, Eduardo de Almeida, que conta com a colaboração do professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), de Pato Branco, Neri Santos de Vargas.

 

A ideia é popularizar o uso de aquecedores solares para que agricultores e moradores da região possam utilizar essa alternativa como forma de diminuir gastos com energia elétrica, por exemplo. “Essa técnica pode ser utilizada tanto para fins residênciais ou mesmo na linha produtiva que depende de água aquecida. Entre os materiais para produzir os aquecedores, estão canos e forros de pvc, todos de baixo custo”, detalha Almeida. A previsão de início das atividades, como palestras e oficinais, devem ocorrer no mês de fevereiro de 2013. O projeto tem como público alvo moradores da zona rural, comunidade acadêmica e externa.

 

Outra iniciativa que recebeu recursos federais é o Programa de Segurança Alimentar e Nutriciona (Nutrisan), o qual é desenvolvido pelo curso de Nutrição. Atualmente, apenas o município de Realeza é atendido pelo programa, mas para 2013 serão contemplados os sete municípios que compõem a microrregião de Capanema (Ampere, Bela Vista da Caroba, Planalto, Pranchita, Capanema, Santa Izabel do Oeste e Pérola dOeste), além das cooperativas da agricultura familiar: Claf e Coopafe.

 

A coordenadora do programa, Amélia Dreyer Machado, explica que a previsão é que, durante a execução do programa, mais de 10 mil pessoas recebam algum tipo de atendimento. “O programa possui quatro projetos, que juntos buscam capacitar professores da rede pública de ensino, merendeiras, cozinheiras, além de promover atividades educativas a diversos grupos e ações nas unidades básicas de saúde, que envolvem crianças, jovens, adultos e idosos”, resume.

 

O financiamento do ProExt permitirá às iniciativas beneficiadas a aquisição de materiais, como balanças, tocas, aventais, termômetro para alimentos, fita antropométrica, computadores, calculadoras, projetores e material didático para produção de folders e panfletos.
Os recursos para o projeto de Ciências e o programa de Nutrição totalizam R$ 141.045,45, sendo que o prazo de execução será de, no máximo, 12 meses.